notícias

Latino-Americano: equipe da FPG coloca Brasil na frente, em Puerto Vallarta, no México

10/10/2017

Comandada por Marcos Park, do Paradise, e Jair Carmona, do Vila da Mata, que jogaram quatro abaixo cada, a equipe da Federação Paulista de Golfe (FPG), que representa o Brasil, disparou na liderança do 10º Campeonato Latino-Americano de Golfe de 2017, que começou a ser jogado nesta terça-feira, 10 de outubro, no Norman Course, do Vidanta Golf, em Puerto Vallarta, no México. O torneio que termina sexta-feira, 13, tem patrocínio do Golf Channel, que transmite os jogos para todo o continente.

O terceiro melhor resultado do time da FPO foi compartilhado por Matheus Park, do Paradise, e por Luis Miyagi, do Arujá, que somaram 75 tacadas cada, duas acima do par. O resultado das equipes é a soma do resultado do jogador scratch, Matheus, com os dois melhores dos outros três membros do time, que jogam com handicap. Marcos e Carmona somaram 69 (-4) tacadas, no campo de par 73, enquanto Matheus e Miyagi jogavam 75 (+3) cada.

O Brasil lidera com 213 tacadas, seis abaixo e seis de vantagem sobre os donos da casa, o time do México, que somou 219, graças a Luis Vargas, o scratch do time, que marcou 75, e dos dois que pontuaram com handicap, Ricardo Escoto, com 68, e Juan Alvarado, 76. A Argentina vem em terceiro, com 220, com a soma das 74 tacadas de Mariano Olcese, o scratch do grupo, com as 68 de Santiago Lanz e as 78 de Federico Ferrari.

Individual – Na classificação individual scratch, Matheus Park vem em quarto, com 75, duas atrás do líder. Nas quatro categorias de handicap, que reúnem também jogadores que não disputam o torneio por equipes, Matheus Park saiu em terceiro no A, com 73 tacadas (nesse grupo ele joga com handicap) e Miyagi em sexto, com 75.

Na B, Marco Park vem em quarto, com 69, e Ademir Mazon, de Campinas, capitão do time, em quinto, com 70. Na C, Jair Carmona é o quinto, com 69, e na D, Geraldo Dontal, delegado do time, está em sétimo, com 33 pontos (stableford).

A estreia foi no Greg Norman Course, de par 73, todo com grama Paspalum, construído às margens do rio Ameca e com deslumbrantes vistas da Sierra Madres. O campo tem como características marcantes greens ondulados protegidos por bancas profundas, além da maior ponte para carts de golfe do mundo, cruzando o rio Ameca, de Nayarit a Jalisco. A segunda rodada será no Jack Nicklaus Course, de par 70, tem como desafios sete lagos e 49 bancas, além do vento que sopra do oceano.

Seletivas – A delegação paulista classificou-se através dos rankings da FPG de 2016, que classificou os melhores de cada grupo, no final do ano, para uma seletiva brasileira, que definiu o time, formado pelos campeões de cada fixa de handicap. A seleção para o torneio do próximo ano está nos seus meses finais, tendo com base, também, os rankings da FPG. Poderão se inscrever para a próxima seletiva brasileira os 33 mais bem colocados em cada uma das categorias do ranking paulista scratch e por handicap índex de 2017.

O time viaja com tudo pago pela FPG, incluindo passagens aéreas, hospedagem no Hotel Vidanta Grand Mayan Puerto Vallarta, e o torneio, com um dia de treino e os três de jogo.

 

Fonte: O Portal Brasileiro do Golfe