Colunas

Quem disse que é esporte solitário?

01/06/2016

Que disse que o golfe é um esporte solitário?

No momento em que decidimos que tipo de tacada e até a sua execução nunca estamos sós.

Quando pegamos o taco estamos acompanhados por nossas certezas e dúvidas, de lembranças boas e das outras sobre situações de jogo similares, da nossa coragem e da nossa covardia, além dos companheiros de jogo que seguem cada um dos nossos movimentos.

Mas existem muitos torneios de duplas e por equipes que tem um desafio maior, porque nossos acertos e erros não somente afetam nosso cartão, mas sim os dos outros integrantes dos conjuntos.

Nessas modalidades coletivas do golfe se cria um vínculo especial, uma energia intangível porém inegável entre os jogadores que às vezes leva ao pódio não as melhores equipes técnicas, mas as que conseguiram voar com essas vibrações.

A vibração nos jogos coletivos de golfe não é somente forte entre 59.999.850 jogadores do Movimento Sem PGA Tour, mas atinge os maiores jogadores do mundo, por exemplo, na disputa da Ryder Cup.

Essas competições coletivas nos relembram que o homem – incluindo até o pior jogador da equipe e do torneio - é um ser gregário, protagonista.

Como bem escreveu Marchall McLuhan: "Não há passageiros na nave espacial Terra; somos todos tripulação."

* Guillermo Piernes é palestrante, consultor e escritor. Autor de Liderança e Golfe - O Poder do Jogo na Vida Corporativa.   www.guillermopiernes.com.br - piernes@golfempresas.com.br