Colunas

O Golfe mudou, mas com o devido respeito

10/10/2011

Por Richard Conolly – r.conolly@onlygolf.com.br

Nas últimas três décadas, assistimos a grandes mudanças no golfe. Os jogadores de ponta agora são verdadeiros atletas. Os tacos e as bolas não têm nada a ver com as do passado e a tecnologia de manutenção dos campos deu grandes saltos qualitativos. As técnicas de ensino geram jogadores de alto desempenho antes dos 18 anos de idade. O golfe tornou-se verdadeiramente mundial e o bastão da liderança técnica passou dos Estados Unidos para a Europa. Dentro de algumas décadas a China será o maior país do golfe.

Comecei a jogar golfe nos tempos em que um tee era um bem precioso e garotos eram iniciados com tacos velhos com varas cortadas. Quanto a bolas, eu estava na base da cadeia alimentar. Jogava com bolas usadas da minha mãe que, por sua vez jogava com as usadas do meu pai. Algumas mais pareciam maracujás de gaveta. Bolas novas eram guardadas na geladeira e só saiam de lá para jogar o campeonato do clube e, quando dava, o Campeonato Amador Brasileiro. Os greens de então mais pareciam os fairways de hoje. Para assistir ao golfe de alto desempenho do Aberto do Brasil pegava-se um avião para ter o privilégio de caminhar pelos fairways, lotados de espectadores, do Gávea ou de Santo Amaro.

Hoje em dia, jogadores trocam de tacos como quem troca de roupa. Tees inteiros são encontrados por todo o campo, inclusive nos fairways. As bolas de prática são tão abundantes que podem ser encontradas a mil jardas do driving range. As superfícies dos greens parecem mesas de bilhar e são mantidas com equipamentos ajustados eletronicamente. Os bunkers, antes lugares a serem evitados a todo custo, nos lembram jardins japoneses de onde os bons jogadores preferem jogar. O golfe é assistido no sofá do clube ou de casa tomando um remédio com qualidade de imagem que permite perceber a menor falha nos greens. Mas quando há um campeonato com jogadores de alto desempenho no nosso clube fugimos de lá como o diabo foge da cruz.

Fui privilegiado por ter vivido e assistido a essa transição. O golfe mudou muito. Que bom. Entretanto, os valores basilares do golfe não mudaram e não vão mudar por que não dependem nem estão subordinados à evolução tecnológica. São simples e de compreensão universal: o respeito que todos devem ter para com os outros jogadores e para com o campo.

A primeira dimensão desses valores, o respeito para com os outros jogadores começa com as Regras. Como qualquer outro esporte o golfe tem Regras. Elas existem por um simples motivo: permitir que o desempenho de todos possa ser comparado e um vencedor declarado. As Regras contêm muitos artigos porque o golfe é praticado em arenas constituídas pela própria natureza, sem dimensões preestabelecidas, onde a única coisa que deve lembrar a mão do homem são as bandeiras indicando a localização dos buracos nos greens.

A maioria das Regras tem por objetivo dar soluções de continuidade. O que faço para continuar jogando depois de perder a bola no mato ou num lago? Minha bola foi fora de campo? E agora? As Regras fornecem a solução e quando incorro em uma penalidade ela é pequena em relação ao escore total. Conheça as Regras e tire proveito desse conhecimento. Na condição de marcador do escore de outro jogador, lembre-se de que você não é um juiz, mas representa todos os demais jogadores no campo. Exerça esse mandato com muito zelo.

Quando um companheiro de jogo for dar uma tacada, observe-o parado e em silêncio fora do prolongamento da linha de jogo. Se a tacada foi boa, basta dizer “boa bola”, se não foi, continue em silêncio. Comemore quando você der uma boa tacada ou embocar um putt longo, mas evite dar gritos de Tarzan que ecoam por todo o campo. Caminhando entre as tacadas aproveite para contar a última piada e por em dia as fofocas sobre os assuntos do momento. Jogue sem demora, o campo é para todos. Se desejar apenas caminhar pelo campo, faça-o, mas sem jogar. Experimente, é muito agradável.

O respeito para com o campo, a segunda dimensão dos valores basilares, deve ser cumprido com naturalidade e obstinação. Deixe o campo sempre melhor do que o encontrou. Não deixe pedaços de tees quebrados nem pontas de cigarro pelo campo. Reponha e nivele seus divots. Repare seus piques de bola nos greens e nivele a areia nos bunkers. Se seu companheiro de jogo não fizer isso, faça-o por ele. Rapidamente ele vai entender a mensagem. Evite arrastar os sapatos nos greens, mesmo comemorando um putt embocado.

Ao cruzar com uma pessoa mantendo o campo, cumprimente-a e elogie seu trabalho. Caminhando pelo campo retire ervas daninhas e apanhe o lixo dos outros. Faça isso e eu garanto que o campo vai lhe tratar bem. Jogue golfe se divertindo. Comemore as boas tacadas e aceite as más, assim é o jogo e você será sempre um companheiro desejado para qualquer partida, com devido respeito.