Colunas

O nascimento do golfe em Pernambuco

25/03/2011

Há muita controvérsia sobre que jogo originou o golfe. Se foi o romano Paganica ou o holandês Kolf. A verdade é que em todo o mundo há registros da prática de jogos que consistiam em deslocar um objeto com um implemento parecido com uma vara ou taco.

Mas o golfe nasceu na Escócia entre os séculos 13 e 14, quanto a isso não há discussão.

O golfe era praticado sobre a relva entre as dunas de areia à beira mar. Eram áreas inservíveis para agricultura cujo único uso era para pasto dos carneiros que mantinham a relva bem aparada. Essas áreas eram chamadas de “links”, termo ainda usado para denominar campos de golfe à beira mar.

O jogo rapidamente tornou-se popular, chegando a ser proibido por decreto real no século 15. Durante o século 19, já era praticado em todo o Reino Unido. Durante a revolução industrial e com a consolidação da hegemonia do Império Britânico os escoceses e ingleses levaram o jogo para o mundo. O golfe chegou às Américas na segunda metade do século 19.

Em Pernambuco, com a chegada dos escoceses e ingleses que vieram para trabalhar nas empresas britânicas como Great Western Railways, Pernambuco Tramways, Pernambuco Power Company e muitas outras, era natural o surgimento da prática do golfe. Seria difícil precisar a data em que foi introduzido, o certo é que por volta de 1910 já se praticava o golfe em Pernambuco. Quem quer que passasse pela antiga campina do Derby por aquela época, haveria de notar grandes círculos de barro batido espalhados pelo vasto gramado e pelos mangues daquele sítio. A área pertencia aos bancos ingleses junto aos quais Delmiro Gouveia havia hipotecado o que restou do seu ambicioso sonho no Derby. Não há notícia, porém, de que tenha existido um clube organizado.

A primeira guerra mundial levou muitos dos britânicos e grande parte não voltou. Nos anos que se seguiram à guerra não houve reatamento imediato das atividades econômicas, sociais e esportivas. A campina do Derby foi adquirida pelo poder público e o velho mercado transformou-se em quartel da Força Policial do Estado.

Em 1928, um inglês chamado George Little, elegante, praticante do golfe e funcionário graduado da Western Telegraph Company Ltda. já falava com entusiasmo nas rodas de amigos sobre a necessidade de haver um campo para a prática do golfe no Recife. Em 27 de junho de 1928, afixou nas tabuletas de aviso dos Pernambuco British Club e British Country Club a seguinte convocação:

“ Existe a possibilidade de se arranjar um bom campo de golf para nove buracos a uma distância razoável da cidade. Os que estiverem dispostos a dar a sua ajuda para a fundação de um clube de golf em Pernambuco façam o favor de apor sua assinatura neste aviso”

Oitenta e sete assinaturas foram apostas e em 19 de julho de 1928 foi fundado o The Pernambuco Golf Club cuja denominação foi posteriormente alterada para Caxangá Golf & Country Club. O clube foi instalado em uma área de 20 hectares arrendada dos proprietários das terras do Engenho Poeta em Caxangá utilizando-se a casa do engenho como a primeira sede do clube. Uma das condições do arrendamento era que o gado continuaria pastando na área. Para preservar os greens de danos causados pelo gado e como proteção dos praticantes contra os touros mais arredios, os greens foram cercados com arame farpado.

A inauguração oficial do campo e da sede, em 7 de outubro de 1928, foi festiva e marcou o início da temporada. A primeira temporada oficial do golfe em Pernambuco.

O Caxangá foi o quinto clube de golfe do Brasil, depois dos de Livramento, São Paulo, Santos e Gávea.